Entretenimento

Bruno reflete sobre sexualidade de Décio e comenta cena de beijo em Sob Pressão

Escrito por Pesquisa Web em 24 de Maio de 2019
[Bruno reflete sobre sexualidade de Décio e comenta cena de beijo em Sob Pressão]

Bruno Garcia reflete sobre sexualidade de Décio e comenta cena de beijo em 'Sob Pressão' — Foto: Globo / Divulgação

No quarto episódio de Sob Pressão, Décio (Bruno Garcia) tem que lidar com as investidas de Kleber (Kelner Macêdo), paciente soropositivo atendido no Hospital São Tomé Apóstolo. O rapaz rouba um beijo do médico na porta do local, gerando um conflito entre os dois sobre a relação médico-paciente e a forma de viver a sexualidade de cada um. Em seguida, acompanhamos Décio indo até o bar em que Kleber trabalha e os dois trocando sorrisos.

Sobre a cena do beijo, que mexeu com os fãs da série, Bruno Garcia comenta o desafio e a reação do público:

"Zero problema em dar um beijo na boca de outro homem, pelo contrário, é até um desafio dramatúrgico maravilhoso."

Ao falar sobre seu personagem, Bruno Garcia faz uma análise sobre a abordagem da homossexualidade de Décio ao longo das temporadas do seriado.

O ator lembra que não é surpresa para ninguém, pois na primeira temporada a sexualidade do médico foi apresentada, ainda que sutilmente, no episódio em que Décio atende Dadi (Felipe de Carolis), paciente que mantém um caso com Nelson (Fernando Eiras).

Bruno Garcia continua sua reflexão sobre Décio e conta que, na segunda temporada, a vida pessoal do médico ficou mais em evidência quando ele atende Jamille (Gabrielle Joie), jovem trans e que recebe aconselhamento dele para receber o tratamento correto. "Ele acaba se colocando como a ponte para fazer essa aproximação e conseguir essa vitória para essa menina. Ao mesmo tempo, ela revela que ele é muito travado, que ele tem questões. Ele fala 'também sou gay', mas ela diz: 'você é gay, mas nunca contou pros seus pais. Se você nunca contou pros seus pais, como vai fazer para convencer meus pais?' Gosto muito desse episódio", lembra Bruno com carinho.

O ator aponta que na segunda temporada, Décio tem uma atitude que ia de contra àquele cara certinho que todos conheciam:

"O Décio que até então era o mais conservador, o mais caretinha, resolve ficar com o bebê, uma coisa que é contra lei, ele podia se dar mal com aquela loucura. Eu gosto dessa maneira realista como os personagens são retratados."

O desenvolvimento da trama do bebê na segunda temporada leva Décio a revelar para a mãe que é gay, tornando-se indispensável um passo a mais na trajetória do personagem na atual leva de episódios.

"Com o público já tendo bastante intimidade com o Décio, já sabendo que ele é gay e que ele conseguiu a vitória de falar para a mãe, chegou a terceira temporada e ficou inevitável que fosse apresentada uma situação que, de fato, fosse ligada à sexualidade do Décio, em termos de desejo e impossibilidade ética. Afinal, ele se sente atraído por um paciente, o que denota um problema", conta o ator.

Sobre a cena do beijo entre Décio e Kleber na porta do hospital, Bruno Garcia conta como foi a preparação para viver este momento do personagem. "Foi uma delícia trabalhar com Kelner, parceiraço", elogia.

"A gente conversou bastante sobre essa questão de que a gente está fazendo um seriado que é realista. Não tem discussão: 'Vamos dar o beijo e é isso, vamos só cuidar para que a cena seja delicada e não pareça apelativa'. A Rebeca Diniz, diretora, mandou muito bem. Aquele plano-sequência é lindo, com uma atmosfera de verdade para tocar as pessoas de uma maneira geral", completa Bruno.

O ator lembra que já viveu outros momentos parecidos na dramaturgia. "Sou veterano em beijar homens na TV", conta, e aproveita para relembrar o programa Sexo Frágil, em que os atores também faziam as personagens femininas.

"A gente convencia tanto como mulher que as pessoas não percebiam que eram dois homens se beijando", afirma.

Bruno Garcia segue relembrando seus outros personagens na televisão brasileira e lembra da minissérie Queridos Amigos, exibida em 2008: "O personagem do Guilherme Weber rouba um beijo do Pedro, que se sentia heterossexual e achou que foi uma agressão, e os dois brigam, e de fato rolou um beijo, mas não era uma situação de concessão mutua, não era uma coisa romântica."

"No caso do Sob Pressão, também foi um beijo roubado, mas que o Décio se entrega no primeiro momento. Aí ele lembra que está na porta do hospital, fica sem jeito e por isso que o Kleber vai lá e dá um puxão de orelha nele", completa.

Para concluir, o ator fica feliz com o resultado do envolvimento entre os dois: "Eu gosto muito que no final ele respira fundo e vai se encontrar com o Kleber no bar. Ainda bem que ele foi lá ser feliz." Fonte: GShow*

Compartilhe!