Dicas da Gisa

Dar mel para criança pequena pode levar até à morte: saiba a idade permitida

Escrito por Pesquisa Web em 18 de Julho de 2019
[Dar mel para criança pequena pode levar até à morte: saiba a idade permitida]

Muito se fala sobre a dieta do bebê e, por isso, é importante saber distinguir o que realmente é recomendação médica e o que são rumores. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde é de que o bebê seja amamentado até os seis meses de forma exclusiva – sem outros alimentos ou líquidos.

Atualmente, existem muitos rumores sobre alimentos "naturais" e "inofensivos" que supostamente complementam a dieta de bebês mais jovens. Dado o problema, a Associação Americana de Pediatria (AAP) faz um alerta aos pais sobre ingredientes populares que colocam em risco a saúde do pequeno, como é o caso do mel.

Pode dar mel para bebês?

Embora seja um ingrediente bastante comum de ser consumido por adultos - especialmente por desempenhar um papel de adoçante natural - as crianças menores de um ano nunca devem consumi-lo.

Essa restrição é explicada devido à presença de esporos da bactéria Clostridium botulinum. Este micro-organismo é perigoso porque pode se alojar no intestino do bebê e liberar uma toxina que paralisa todos os seus músculos, desencadeando uma doença conhecida como botulismo.

Botulismo: o que é

O botulismo é uma intoxicação alimentar que atinge o sistema nervoso e pode causar tremores, dificuldade de deglutição, moleza no corpo e falta de apetite. Em casos mais graves, há o risco de insuficiência respiratória e de complicações neurológicas. De acordo com o Guia Brasileiro de Vigilância Epidemiológica, a doença é responsável por 5% das mortes súbitas em crianças menores de 1 ano de idade.

Quando criança pode começar a consumir mel?

Somente crianças a partir de dois anos de idade e adultos são capazes de digerir corretamente essa bactéria, uma vez que seu sistema gastrointestinal já está melhor desenvolvido.

Portanto, o mel está liberado com consumo controlado e indicado por um nutricionista a partir do segundo ano de vida. Embora seja uma solução saudável para adoçar alguns preparos, o alimento é rico em açúcar e deve ser incluído na alimentação das crianças com cuidado, orientação e parcimônia. Fonte: VIX*

Compartilhe!