Dicas da Gisa

Estes alimentos podem desequilibrar o hormônio estrogênio e, por isso, engordar

Escrito por Sites da Web em 13 de Maio de 2019
[Estes alimentos podem desequilibrar o hormônio estrogênio e, por isso, engordar]

Os hormônios são responsáveis pela regulação de diversas funções no organismo e, quando apresentam alterações e desequilíbrios, dão sinais que podem ir de variações no humor até ganho significativo de peso. Sim, os hormônios e o ganho de medidas estão mais conectados do que você imagina e, por isso, vale uma atençãozinha a mais na alimentação para não contribuir para o ganho de peso.

Alimentação e desequilíbrio hormonal

O organismo é regido, entre outras coisas, por um equilíbrio hormonal, a predominância ou a deficiência de algum hormônio pode causar alterações metabólicas afetando desde glândulas - como a tireoide e suprarrenais - como órgãos e tecidos.

Essas alterações elevam os riscos de doenças, de distúrbios e alterações mentais e de acúmulo de gordura.

Quando hormônios afetam o peso

Predominância estrogênica

O quadro é caracterizado pelo excesso de estrogênio no corpo e redução da progesterona. Um dos vários sintomas desse quadro é o aumento de gordura corporal, em especial no abdômen, coxas e quadril.

A predominância do estrogênio pode causar alterações metabólicas afetando desde glândulas - como a tireoide e suprarrenais - como órgãos e tecidos. Essas alterações elevam os riscos de desenvolvimento de distúrbios e alterações mentais, câncer de mama e doenças cardiovasculares.

Alimentação que impacta nos níveis de estrogênio

Consumo de alimentos ricos em estrogênio

Alimentos ricos em estrogênio, como soja, linhaça e leguminosas também podem simplesmente causar um aumento da carga de estrogênio no corpo, o que automaticamente inclinam a balança.

Dieta pobre em fibras

O estrogênio é processado no fígado, mas também é processado, em parte, pela flora intestinal e também excretado no trato digestivo. Por isso, é essencial que o sistema digestivo esteja trabalhando de forma regulada, o que depende do consumo de fibras. Com uma flora intestinal pobre e a mobilidade intestinal lenta, o estrogênio fica muito tempo no intestino e é reabsorvido na corrente sanguínea. Fonte: VIX*

Compartilhe!