Polícia

Policial civil mata PM a tiros em boate; vídeo mostra ambos sacando arma

Escrito por Pesquisa Web em 15 de Abril de 2019
[Policial civil mata PM a tiros em boate; vídeo mostra ambos sacando arma]

Policiais que conviveram com o tenente Herison de Oliveira Bezerra afirma que ele era 'super tranquilo'.

Uma confusão envolvendo um policial civil e um policial militar dentro de uma boate de Águas Claras, no Distrito Federal, na madrugada desta segunda-feira (15), terminou em tiros e com a morte de um deles e uma terceira pessoa ferida.

Segundo o jornal Correio Braziliense, o tenente da PM Herison de Oliveira Bezerra foi atingido no tórax pelo policial civil, que não teve o nome divulgado, após ambos puxarem a arma numa área próxima a um dos balcões da boate.

Antes de atirar, a vítima foi atingida e caiu no chão. Uma mulher de 39 anos, que estava próximo dos dois, foi atingida na coxa e levada para o Instituto Hospital de Base. Ela está consciente e em situação estável.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF), a corporação foi acionada por volta das 3h10. Quando militares chegaram ao local, o policial civil teria confessado ser o autor dos disparos. Ainda não há informações sobre o que levou os dois policiais a se desentenderem. O tenente ainda chegou a ser socorrido ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas não resistiu e faleceu às 4h.

A Polícia Civil informou que às 3h, uma equipe da Polícia Militar conduziu o policial civil, de 39 anos, até a 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), por ter efetuado disparos de arma de fogo no interior da casa noturna, no Setor Arniqueiras, em Águas Claras. 

Ele foi levado à Corregedoria-Geral de Polícia (CGP/PCDF), onde foi autuado em flagrante por homicídio e lesão corporal. Após esse procedimento, o policial civil ficará à disposição da Justiça.

Policiais que conviveram com o tenente Herison de Oliveira Bezerra, ainda segundo o Correio Braziliense, afirmam que ele era “super tranquilo” e ativo em Ceilândia e, ao longo do tempo, recuperou armas, carros produtos de roubou ou de furto, prendeu quadrilhas de roubos e de tráfico de armas. Também se envolvia em ações solidárias.

Ano passado, quando a PM-DF completou 209 anos, o tenente estava entre os homenageados em uma solenidade na Câmara dos Deputados por sua atuação destacada contra ações criminosas. Fonte: Correio*

Compartilhe!