Ciência e Saúde

Chiclete piora gastrite? Mitos e verdades da doença

Escrito por Pesquisa Web em 13 de Março de 2019
[Chiclete piora gastrite? Mitos e verdades da doença]

Muitas são as dúvidas sobre gastrite, doença que inflama o revestimento do estômago e atrapalha a vida de muita gente com seus típicos sintomas de dores e até náusea e vômitos - seja temporariamente ou durante anos. Aproveite esse momento para descobrir o que é mito e o que é verdade sobre esse assunto e esclareça todas as suas dúvidas: 

1. "Gastrite pode virar câncer"

Verdade para alguns tipos de gastrite. Algumas formas de gastrite podem evoluir para câncer gástrico. A gastrite associada à bactéria Helicobacter pylori pode se tornar uma gastrite atrófica que apresenta um risco aumentado de neoplasia gástrica. Já a gastropatia micronodular associada à Helicobacter pylori pode eventualmente evoluir para linfoma do estômago.

2. "Chiclete piora a gastrite"

Verdade. O ato de mastigar estimula a produção estomacal de ácido clorídrico, o que seria útil na digestão dos alimentos, mas torna-se um problema quando não ingerimos nada. O aumento da quantidade de suco gástrico em um estômago vazio pode resultar na agressão da mucosa do estômago e ter como resultado uma gastrite.

3. "Leite resolve a dor causada pela gastrite"

Mito. Por mais que o leite possa aliviá-la temporariamente, o grande problema é que, após algum tempo, ele aumenta a acidez gástrica (o estômago produz suco gástrico para digerir o leite rico em proteínas) e isso piora ainda mais a dor. Essa é a razão pela qual não se recomenda o uso de leite no tratamento da gastrite.

4. "Ficar de jejum ou muito tempo sem comer piora os sintomas"

Verdade. O estômago apresenta uma secreção basal de enzimas digestivas e ácido clorídrico. É importante alimentar-se em intervalos regulares para evitar que esse suco gástrico ataque a mucosa do estômago e piore a gastrite. Aproveite para conferir 5 coisas que você não deve ingerir de estômago vazio.

5. "Estresse causa gastrite"

Verdade. O estresse físico ou mental, por efeito direto ou intermediado por hormônios, pode aumentar a secreção de suco gástrico, reduzir a proteção da mucosa do estômago e nos tornar mais sensíveis à percepção dos estímulos sensoriais gástricos. Além disso, a motilidade gástrica pode ser alterada e a complacência gástrica reduzida. O resultado final desses efeitos do estresse sobre o trato digestivo superior é a possibilidade de agravar os sintomas da gastrite. Leia mais em Ansiedade e estresse podem intensificar sintomas de gastrite.

6. "Gastrite não tem cura"

Mito. A possibilidade de curar certas formas de gastrite está ligada essencialmente a encontrar sua causa e tratá-la. Podemos utilizar antibióticos para erradicar o Helicobacter pylori e outros agentes infecciosos como, por exemplo, citomegalovírus, treponema pallidum, cândida, herpes, microbactérias e parasitos. Assim como suspender substâncias que estejam levando à gastrite, como álcool, drogas ilícitas e medicamentos como anti-inflamatórios ou antibióticos. Portanto, a doença tem cura, sim!

7. "Gastrite é hereditária"

Verdade para alguns tipos de gastrite. Apesar de a bactéria Helicobacter pylori ser a principal causa de gastrite, algumas formas de gastrite, com destaque para a gastrite atrófica autoimune, podem apresentar um componente hereditário importante. Por motivos como esse, é primordial fornecer um histórico das doenças apresentadas por familiares durante a consulta médica.

8. "Quem tem gastrite não pode tomar refrigerante e café"

Verdade. A cafeína estimula a secreção de ácido clorídrico e reduz o fluxo sanguíneo para a mucosa e a produção de muco protetor, o que pode levar ao agravamento da gastrite. Já os refrigerantes são bebidas ácidas que podem agredir diretamente a mucosa gástrica levando a uma piora da doença. 

9. "Certos remédios provocam gastrite"

Verdade. Os anti-inflamatórios são os medicamentos mais ligados à gastrite, pois são ácidos que agridem diretamente a mucosa e reduzem a produção de prostaglandinas. Isso resulta na diminuição da barreira de muco e bicarbonato, no aumento da permeabilidade de células estomacais e na redução do fluxo de sangue para a mucosa.

Consequentemente, as defesas da mucosa gástrica tornam-se menos eficazes e isso deixa o estômago mais suscetível a ação do suco gástrico, piorando a gastrite. Outros medicamentos que podem agravá-la são antibióticos, quimioterápicos, ferro, cloreto de potássio, alendronato, colchicina, entre outros. Fonte: Minha Vida*

Compartilhe!